cincocores_eucor

Atendimento

R. Galeão Carvalhal, 73
Jardim Bela Vista - Santo André
São Paulo - 09041-400

2808-6400 / 4990-7408
99619-7891 / 99502-2443
99981-0697 / 97281-3424

  • Decrease font size
  • Default font size
  • Increase font size
Marcapasso Cardíaco - vamos conhecê-lo Imprimir E-mail

O coração é basicamente um músculo oco com quatro câmaras – dois átrios (as câmaras superiores) e dois ventrículos (as câmaras inferiores) e dividido em lado direito e esquerdo, é o responsável pelo bombeamento do sangue para que todos os órgãos e tecidos recebam alimentos e o oxigênio vital. O coração depende de minúsculos impulsos elétricos que são percorridos das câmaras superiores para as inferiores. 

Estes impulsos normalmente começam no nó sinusal (marcapasso natural do coração) e permitem ao coração bater de forma rítmica. Os impulsos são transportados por feixes elétricos (vias de células especializadas) das câmaras superiores para as inferiores para que possam se contrair. 

Esta contração é conhecida como pulsação. Um coração saudável bate entre 60 a 80 vezes por minuto, cerca de 100.000 batimentos por dia. Durante a prática de exercício físico ou em situações de estresse o corpo tem uma maior necessidade de oxigênio. Para satisfazer essa necessidade, os batimentos cardíacos aumentam para mais de 100 vezes por minuto. 
 

Diferentes motivos, tais como doenças ou mesmo o processo de envelhecimento, podem perturbar o ritmo normal do coração. Os problemas mais comuns ou mesmo bloqueios surgem no sistema de feixes elétricos. Como conseqüência o coração pode começar a pulsar de forma irregular e/ou lentamente e o corpo, poderá ser insuficientemente oxigenado, causando vertigens, sensação de fraqueza e cansaço.

O termo clínico para a diminuição da pulsação é bradicardia e caso seja devida a doenças, quando o coração não é capaz de adaptar a sua pulsação às necessidades do organismo num esforço, devido a um bloqueio parcial ou total da condução elétrica entre o nó sinusal (no átrio) e o nó AV (no ventrículo), um outro ponto do coração gerará uma pulsação em ritmo auxiliar muito lento, para garantir as funções vitais mínimas. Em qualquer destas situações, ou em outras menos comuns, o coração deve ser assistido através do uso de um Marcapasso artificial. Os marcapassos atuais podem ser adaptados para irem de encontro às necessidades de cada paciente.

O marcapasso é um sistema de estimulação elétrica que consiste em um gerador de pulsos e um eletrodo. O gerador de pulsos elétricos é um circuito eletrônico miniaturizado e em uma bateria compacta. Os marcapassos tem um diâmetro próximo de 05 cm e só funcionam na ausência do ritmo cardíaco natural. Assim o marcapasso está apto a reconhecer ou perceber a atividade cardíaca. Quando o marcapasso não capta nenhuma pulsação natural, libera um impulso elétrico.

Como resultado, o músculo cardíaco contrai-se. O marcapasso é ligado ao coração através de um ou dois eletrodos. O eletrodo é um fio condutor muito fino, eletricamente isolado, que é colocado diretamente no lado direito do coração. É através destes fios que os impulsos elétricos são transportados até o coração. O eletrodo também pode captar a atividade do coração e transmitir esta informação ao marcapasso, alguns podem adaptar de forma automática a sua pulsação de estimulação às condições fisiológicas de cada paciente.

Esta função de adaptação fisiológica do marcapasso é obtida por um sensor especial que capta as variações do organismo, como as mudanças das necessidades fisiológicas que ocorrem durante uma caminhada rápida, natação ou até cuidando do jardim, por exemplo, que detectadas pelo marcapasso, produz um aumento dos batimentos cardíacos.